• Carregando...

O Contrato de Primeiro Emprego (CPE), vigente desde 2 de abril deste ano para as empresas com mais de 20 trabalhadores, é um dos artigos da Lei de Igualdade de Oportunidades com que o governo francês respondeu à onda de violência nos bairros da periferia em outubro e novembro de 2005.

Precariedade – A oposição e os sindicatos consideram o CPE uma extensão do também "precário" Contrato de Nova Contratação, vigente desde agosto de 2005 para trabalhadores de qualquer idade em empresas com menos de 20 empregados.

Promessa – Após pressão popular, o presidente Chirac anunciou em 31 de março deste ano que o período de experiência do CPE deveria ser reduzido a um ano e que os jovens teriam o direito a conhecer o motivo de sua demissão.

16 de janeiro – O primeiro-ministro Villepin anuncia a criação do Contrato de Primeiro Emprego (CPE) para jovens menores de 26 anos. Durante os dois anos de experiência, os jovens poderiam ser demitidos sem justa causa.

31 de janeiro – Começa o debate na Assembléia Nacional e ocorrem os primeiros protestos nas ruas.

9 de fevereiro – O Governo recorre à moção de confiança para impor o projeto de lei na Assembléia Nacional.

9 de março – Aprovação definitiva da Lei de Igualdade de Oportunidades, que inclui o CPE.

28 de março – Entre 1 e 3 milhões de pessoas participam de manifestações.

4 de abril – Entre 1 e 3 milhões de pessoas participam do quinto dia de protestos e paralisações. Bloqueios continuam nos dias seguintes.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]