• Carregando...
Fotografia aérea que mostra local afetado pelos incêndios florestais em Viña del Mar, região de Valparaiso, Chile
Fotografia aérea que mostra local afetado pelos incêndios florestais em Viña del Mar, região de Valparaiso, Chile| Foto: EFE/Adriana Thomasa

O presidente do Chile, Gabriel Boric, esteve em Viña del Mar na manhã deste domingo (4) para analisar os estragos que um incêndio florestal de grandes proporções causou na região. Oficialmente, o número de mortes já chegou a 99, mas as buscas seguem em várias cidades do estado de Valparaíso.

"Esta é a maior tragédia que vivemos como país desde o terremoto de 27 de fevereiro de 2010. Digo isso para sermos capazes de dimensionar a dor e a magnitude do que estamos vivendo hoje", declarou o político, na tarde deste domingo, num colégio que foi transformado em albergue na cidade de Quilpué. O terremoto de 2010 citado por Boric vitimou mais de 500 chilenos.

"A prioridade agora, eu reitero, é salvar vidas. Ainda existem focos de fogo ativos. Vamos atender aos feridos e controlar esses focos de incêndio, que estão sendo combatidos neste momento. Nosso dever é proteger o cidadão e seus animais de estimação", completou o presidente, ladeado por autoridades locais.

O fogo consumiu grandes áreas residenciais de Valparaíso, a 100 quilômetros a leste de Santiago. Desde sexta-feira, a região está com estado de emergência decretado. De acordo com o último relatório da Corporação Nacional Florestal, há pelo menos sete incêndios atualmente ativos em Valparaíso. O maior é o da Reserva Lago Peñuelas/Las Tablas, junto à principal autoestrada da região, que já queimou cerca de 9.300 hectares.

Este incêndio, juntamente com o de Lo Moscoso, com 1.350 hectares queimados, é particularmente preocupante devido à sua virulência e à proximidade de zonas densamente povoadas.

O diretor do Serviço Nacional de Prevenção e Resposta a Catástrofes (Senapred), Álvaro Hormazábal, disse na manhã deste domingo que as condições meteorológicas podem melhorar ligeiramente nas próximas horas, o que facilitaria o combate aos incêndios.

"A partir de hoje ou amanhã teremos a depressão costeira. Poderemos já ter alguma nebulosidade na costa, o que aumenta a umidade e permite diminuir um pouco a intensidade do fogo", analisou Hormazábal.

Para facilitar os trabalhos de salvamento e desobstruir as vias de evacuação, o governo chileno ordenou o toque de recolher obrigatório noturno, que poderá ser prolongado até esta noite nos setores ainda não evacuados das cidades de Quilpué, Villa Alemana, Limache e Viña del Mar.

O governador da região, Rodrigo Mundaca, anunciou após uma reunião entre as autoridades e instituições regionais que há "unanimidade de critérios" na manutenção da medida, embora o calendário ainda não esteja definido. Mundaca reiterou que ainda está sendo investigada a possibilidade de os incêndios terem sido intencionais, uma vez que muitos deles deflagraram ao mesmo tempo.

0COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]